COMO COMEÇOU?
 

Tudo começou pela experiência pessoal de Inácio de Loiola, um jovem da nobreza basca do séc. XVI. Pouco dado às coisas espirituais e mais dado a sonhos mundanos, Inácio foi notando estados interiores diferentes: quando pensava nas coisas do mundo, sentia um contentamento momentâneo mas depois acabava e sentia-se vazio e insatisfeito; quando pensava nas coisas de Deus, elas deixavam em si um rasto persistente de ânimo. Percebeu então que Deus se tornava próximo e se manifestava através de sinais interiores. E dispôs-se a procurar a vontade de Deus até às últimas consequências. [...]